Artigo Científico

GEL DEBRIDANTE E CURATIVO OCLUSIVO ASSOCIADOS NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS

Simone Helena S. Oliveira1, Ma Julia G. O. Soares1, Sônia M. S. Pradines2, Roberto B. Lonzing3, e Marçal Queiroz Paulo3

  1. Escola Técnica de Saúde da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa – PB.
  2. Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, Recife – PE.
  3. Laboratório de Química de Produtos Naturais da UFPB, João Pessoa – PB.

Resumo

O tratamento clínico de úlceras é complexo devido à diversidade etiológica das lesões e ao estado dos pacientes. Nessa pesquisa foi realizada uma avaliação de eficácia clínica de um gel hidrolítico associado a um curativo biológico em 50 pacientes adultos portadores de úlceras varicosas, venosas, úlceras por pressão e pé-diabético, em vários estágios e graus. Os resultados permitiram comprovar a eficácia do uso do produto debridante Verhagel associado e ao Curativo Natura Skin no tratamento dessas lesões. Nessa pesquisa o tratamento dos pacientes foram avaliados preliminarmente e quando necessário foi realizado o controle da glicemia. Os curativos foram trocados a cada 24 horas e, ao final do tratamento os resultados foram positivos. Observou-se que o gel hidrolítico realizou o debridamento sem perda da neo-formação tecidual e a fenestração do curativo biológico protegeu a ferida, manteve a hidratação do leito permitindo a eliminação dos exsudatos serosos (líquido) ou purulentos (viscoso).

INTRODUÇÃO

Segundo a Federação Latina Americana de Cirurgiões (2001), feridas crônicas são definidas como lesões complexas que não cicatrizam no tempo normal. Estão incluídas nesta categoria as úlceras de diversas etiologias, as doenças dermatológicas e as iatrogenias (El programa de las heridas,1994).

As feridas podem ser definidas como rupturas das estruturas anatômicas e funcionais normais do corpo ou, qualquer lesão que leve a quebra da continuidade da pele. Diversos autores as classificam segundo a etiologia, ao agente causador, ao grau de contaminação, a aparência, a coloração do leito da lesão, a extensão, profundidade, presença de transudato e exsudato. Quanto à etiologia as feridas são classificadas em agudas, crônicas e drenantes DEALEY (1996) e SANTOS CESARETTI (2000).

As úlceras varicosas podem ser classificadas como feridas agudas ou crônicas, decorrentes de transtorno na circulação de retorno das pernas. Normalmente os portadores de úlceras varicosas e venosas são também portadores de doenças vasculares ou digestivas, sendo parte desse universo composto de pacientes obesos e/ou que trabalham de pé por longos períodos.

Existem vários tipos de úlceras de perna das quais 73% são de origens venosas provenientes de ferimentos infectados, ou devidos a doenças infecciosas (sífilis, tuberculose, leishmaniose); por defeitos de glóbulos sanguíneos (anemia falciforme); por doenças auto-imunes (esclerodermia); por hipertensão arterial; por má irrigação sanguínea da perna (úlceras isquêmicas); úlceras dos diabéticos; tumores de pele e úlceras venosas.

No tratamento das úlceras podem ser usados diversos tipos de coberturas não convencionais a exemplo dos curativos biológicos oclusivos, no entanto o mecanismo da oclusão, por não permitir a eliminação dos exsudatos dificulta as cicatrizações, principalmente nas mais complexas como às úlceras de pressão, úlceras venosas e pé-diabético. Essas complexidades devem-se, em parte aos exsudatos das úlceras que facilitam as colonizações por bactérias anaeróbicas. Por sua vez, essas contaminações resultam em formação de bolhas purulentas dentro do curativo oclusivo que impedem a granulação e a formação neo-tecidual necessária para cicatrização. PRADINES, FERRAZ et al (2006) avaliaram um curativo oclusivo fenestrado contendo colágeno na sua composição em feridas de diferentes etiologias e através dessa pesquisa classificaram o produto como próximo de atender ao conceito de curativo “ideal” proposto por Dealey (1996), tal os resultados positivos no tratamento de feridas.

Os produtos utilizados para a reparação cutânea, devem possuir requisitos estruturais e funcionais peculiares: ter escassa ou nenhuma antigenicidade; não provocar reação inflamatória; facilitar a colonização da parte das células estromais e a síntese de glicoproteínas; favorecer a migração e a diferenciação das células epiteliais.  Essas propriedades dos curativos podem ser traduzidas como eficácia, segurança e versatilidade que juntos propiciam também, conforto do paciente, facilidade de aplicação ou remoção, segurança médica, e a relação positiva do custo / benefício com uso clínico do produto. Nesse contexto, a avaliação clinica realizada com o uso curativo Natura Skin, em cinqüenta pacientes portadores de feridas de várias etiologias, mostrou que esse novo curativo biológico oclusivo apresentou resultados positivos em feridas limpas, necrosadas e com diferentes graus de exsudação com diferentes comprometimentos teciduais.

No presente trabalho, esse mesmo curativo oclusivo Natura Skin,associado ao Gel Hidrolítico Verhagel, usado no desbridamento das feridas com tecidos necróticos, foram avaliados quanto à eficácia terapêutica em 60 pacientes adultos, voluntários de ambos os sexos, portadores de úlceras varicosas, venosas, úlceras por pressão e pé-diabético compensados. As análises dos resultados indicaram que o uso associado do Gel Hidrolítico Verhagel e do Curativo Natura Skin foram positivos em 92% dos casos.

METODOLOGIA

a) Descrição dos produtos
Verhagel é um novo Gel Hidrolítico cristalino constituído de alginato de cálcio e sódio, gel de Aloe vera, colágeno e glicerina que permite a fácil aplicação para cobrir os tecidos necróticos ou desvitalizados da lesão. O produto é apresentado em bisnagas plásticas contendo 30 ou 60 gramas do hidrogel usado como debridante.

O alginato de cálcio e sódio participa na concentração de 5% na formulação do gel hidrolítico que contém 85% de água. O seu mecanismo de ação ocorre quando os íons de cálcio trocam de lugar com os íons de sódio do exsudato. Essa troca iônica do alginato em gel hidrófobo propicia a remoção dos tecidos necróticos por meio da hidratação do leito da lesão, favorecendo o processo granulação e cicatrização das feridas. Esse mecanismo por via hídrica permite limpeza das feridas sem interferir as trocas e estabilização dos tecidos neo-formados.

O gel de Aloe vera é reconhecido cientificamente por sua propriedades antioxidantes, cicatrizantes e antimicrobianas. A sua participação na formulação do Verhagel auxilia na proteção e na neo-formação tecidual, protegendo as células de granulação contra a oxidação dos agentes externos ao ambiente do curativo. Nesse contexto o colágeno otimiza a adesividade do produto ao leito da ferida e contribui para o processo de granulação e epitelização.

O Curativo Natura Skin é apresentado na forma de filme polissacarídeo de hemi-celulose, fenestrado (janelas) contendo colágeno. Através de análise microscópica eletrônica, observou-se que o curativo apresenta na estrutura física polimérica uma rede de micro fibras de 0,2 a 1,5µm. Essa estrutura é responsável pela densidade, maleabilidade e porosidade para troca gasosa do curativo. As fenestrações funcionam como válvulas que se abrem pouco para a eliminação dos exsudatos serosos (fluídos) ou abrem-se muito para eliminação dos exsudatos purulentos (viscoso). Se a ferida for limpa, sem exsudatos, as fenestrações mantêm-se fechadas, protegendo a ferida contra contaminações e regulando a umidade e a troca gasosa. Esse comportamento também é registrado após a eliminação dos esxudatos.

b) Amostra
O universo do estudo foi constituído por 60 pacientes adultos e voluntários portadores de lesões úlceras venosas, úlceras varicosas, úlceras por pressão e úlceras pé-diabético, com etiologias diversas e tempo de duração variado, com comprometimento estrutural superficial, profunda parcial e profunda total.

c) Variáveis do estudo
Para avaliação e classificação da lesão, foram analisadas as seguintes variáveis: a) Etiologia, b) Tempo de evolução da cicatrização (se aguda ou crônica), c) Localização, d) Dimensões (altura x largura x profundidade), e) Aparência quanto ao estágio da cicatrização (granulação, epitelização, retração de bordas), f) Complicações como necrose, infecção, crostas, g) Aspecto da pele ao redor da lesão (intacta, eritema acentuado ou ulceração), h) Aspecto e quantidade do exudato (alto, médio ou baixo), i) Sinais de infecção como edema, calor, rubor, dor, secreção purulenta e alterações no aspecto do leito da lesão, j) Presença de dor durante o tratamento e, l) Aparecimento de alguma complicação como: dor, sangramento, exacerbação dos sinais de infecção e aumento da área de necrose.

d) Critérios para avaliação da eficácia terapêutica
Os participantes do estudo foram avaliados no primeiro dia do tratamento, considerado o dia zero, no sétimo dia, no décimo quarto e no trigésimo dia, pelos mesmos observadores.

Foram considerados como eficácia terapêutica: a) Diminuição das dimensões da ferida; b) Ausência das complicações (dor, sangramento, exacerbação dos sinais de infecção e aumento de área de necrose e, c) Evolução do tempo da cicatrização.

e) Modo de usar
As úlceras foram lavadas com soro fisiológico com auxílio de gaze e, em seguida, foi aplicada uma camada do Gel Hidrolítico Verhagel sobre toda área da lesão. Sobre o gel hidrolítico foi colocado um curativo Natura Skin envolto numa fina faixa de gaze. Esse procedimento foi repetido a cada 24 horas, com a lavagem da ferida e a substituição do Gel e do curativo.

RESULTADOS

Os resultados do ensaio de avaliação da eficácia terapêutica do Gel Hidrolítico Verhagel associado ao curativo biológico Natura Skin foram positivos para tratamento de úlceras de várias etiologias: úlceras venosas, úlceras varicosas, úlceras por pressão e pé-diabético. O ensaio ocorreu sem registro de complicações, redução dos odores fétidos e a evolução do tempo de cicatrização foi reduzido, mesmo em casos de pacientes com úlceras crônicas e infectadas. Exemplos desses resultados estão apresentados abaixo:

1- Paciente L.E.G. 59 anos, sexo feminino, portadora de úlcera venosa mid no membro inferior esquerdo crônica com 14 anos após diversos tratamentos. Tamanho da lesão 3,0x2,8x0,8cm. Tempo do tratamento: 2 mês e 25 dias.

clip_image004_0001 clip_image006_0000 clip_image005_0001
a) Início do tratamento; b) Durante o uso do curativo Natura Skin e VERHAGEL e c) Resultado final do tratamento

2- Paciente r.p.s. 48 anos, sexo masculino, com diagnóstico de úlcera varicosa isquêmica e tecidos necrosados no leito da lesão, após diversos tratamentos convencionais. Membro inferior esquerdo com várias úlceras de diferentes tamanhos, todas contaminadas. Tempo do tratamento: 1 mês e 9 dias.

clip_image010_0000 clip_image009_0000 clip_image011_0001
a) Início do tratamento; b) Aplicação do curativo Natura Skin e Verhagel e c) Resultado final após 39 dias de tratamento.

3) O paciente M.S.V. sexo feminino, 62 anos, portadora de úlcera varicosa no membro inferior esquerdo, com tecidos desvitalizado, tamanho 22,0 x 11,6cm sem exsudação, crônica de 12 anos. Tempo do tratamento: 4 meses.

clip_image014_0000 clip_image015_0000 clip_image013_0000
a) Início do tratamento; b) Durante o tratamento com Curativo NaturaSkine VERHAGEL e, c) Resultado após 120 dias de tratamento

CONCLUSÃO

Os resultados da avaliação de eficácia do Gel Hidrolítico Verhagel associado ao Curativo Natura Skin mostraram que os dois produtos biológicos apresentam propriedades farmacológicas e terapêuticas que se complementam para o tratamento de úlceras varicosas, úlceras por pressão, úlceras venosas e pé-diabético. Essa conclusão foi fundamentada nos resultados dos pacientes portadores de úlceras de várias etiologias, que fizeram parte dessa pesquisa clínica. O Gel Hidrolítico Verhagel tem propriedades desbridantes e quando aplicado sobre os tecidos desvitalizados realiza a sua remoção sem traumatizar os tecidos neo-formados no processo de cicatrização das úlceras com ou sem exsudatos. Todos os critérios estabelecidos para a avaliação da eficácia terapêutica do curativo foram atingidos, ou seja, o produto foi eficaz na cicatrização de 92% das lesões; reduziu a dor após a sua aplicação e, durante a avaliação clínica não foi registrado nenhum caso de complicação pelo uso do gel hidrolítico associado ao curativo biológico Natura Skin.

REFERÊNCIAS

  • BORGES, E. et all. Feridas: como tratar. Belo Horizonte: COOPMED, 2001.
  • BORGES, E. L., CHIANCA, T.C.M. Tratamento e Cicatrização de Feridas. Dermatologia Nursing – Revista Técnica de Enfermagem. Nº. 21. Fevereiro de 2000 Ano 3. São Paulo SP.
  • CANDIDO, L. C. Nova abordagem no tratamento das feridas. São Paulo: Editora SENAC, 2001.
  • CUZZELL, J.; KRASNER, D. Curativos in Feridas Tratamento e Cicatrização. Rio de Janeiro: Revinter, 2003. DEALEY, C. Cuidando de feridas: um guia para as enfermeiras. São Paulo: Atheneu, 1966.
  • FELAC Federacion Latinoamericana de Cirurgia Herida e Infeccion Quirúrgica. Bogotá de Colômbia: Legis S A, 2001.
  • HESS, C. T. Tratamento de feridas e ulceras. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editora, 2002.
  • JORGE, S. A.; DANTAS, S. R. P. E. Abordagem multiprofissional do tratamento de feridas. São Paulo: Editora Atheneu, 2003.